Fauna (2) - Aves e +1 pouco de Cerrado

Publicado em 10/04/2016 às 13h00

Aqui estão mais duas lindas aves encontradas nos mais de 500 mil metros quadrados de matas preservadas da fazenda Alto Buritis. Elas aparecem lá de vez em quando nas proximidades da sede e não são fáceis de serem fotografadas, principalmente o saí-azul que é muito irrequieto.

Saí-azul

O saí-azul é também conhecido como saí-bico-fino, saíra-de-bico-fino, azulego e saí-bicudo. Seu nome científico é daknis  cayana.

Mede aproximadamente 13 centímetros de comprimento e pesa, em média, 16 gramas. Apresenta acentuado dimorfismo sexual: o macho é azul e negro, com as pernas vermelho-claras, enquanto a fêmea é verde, com a cabeça azulada e pernas alaranjadas. Seu canto é um gorjear fraco.

Alimenta-se de néctar, insetos e frutas. É comum em bordas de florestas, capoeiras arbóreas, campos com árvores esparsas, florestas secas e de galeria. Vive normalmente aos pares ou em pequenos grupos, procurando insetos ativamente na folhagem ou alimentando-se de frutos em árvores e arbustos.

Ariramba

A ariramba-de-cauda-ruiva é também conhecida como ariramba-de-cauda-castanha, beija-flor-d'água, beija-flor-da-mata-virgem, beija-flor-do-mato-virgem, beija-flor-grande, bico-de-agulha, bico-de-agulha-de-rabo-vermelho, bico-de-sovela, cuitelão, fura-barreira (PE), fura-barriga (PE), guainumbi-guaçu, sovelão (MG) e barra-do-dia (MA). O nome científico é gaubula ruficauda.

Mede entre 19 e 25 centímetros e pesa entre 18 e 28 gramas. À primeira vista, parece um grande beija-flor, devido tanto ao seu bico longo e fino, quanto à coloração verde-amarelada iridescente de grande parte da plumagem (semelhança responsável por alguns dos nomes comuns).
No macho as partes superiores, incluindo a face, a coroa e o peito são de coloração verde brilhante metálico. A cauda é relativamente longa e gradual. O par de penas retrizes (da cauda) centrais é alongado e tem uma cor verde metálica, as demais penas retrizes externas são castanhas. A garganta é branca. O ventre e a parte de baixo das asas são castanhos. O bico é preto, fino e longo como é característico da família Galbulidae e seu tamanho varia de 4 a 5 centímetros. A íris é marrom, a pele orbital da região loral é acinzentada. A coloração das pernas varia de marrom amarelada a cinza carne. As garras são negras. A garganta é branca, enquanto na fêmea e nos machos juvenis ela é ferrugínea. Nas fêmeas, o abdômen é castanho, ligeiramente mais pálido do que o macho.
Caça exclusivamente insetos em voo, com grande destreza e velocidade para apanhar presas desde o tamanho de uma pequena abelha sem ferrão até libélulas e mariposas.

Mais informações no site www.wikiaves.com.br

 

Um pouco de Cerrado

Aves do cerrado

Um aspecto marcante do Cerrado, é as suas aves. As aves típicas do Cerrado incluem desde a famosa seriema (Cariama cristata), a “voz do cerrado”; algumas espécies endêmicas, como a gralha-do-campo (Cyanocorax cristatellus), o papagaio-galego (Amazona xanthops ) e o soldadinho (Antilophia galeata); outras com importante presença no Cerrado mas que também ocorrem em outros biomas tais como, a arara-canindé (Ara ararauna), a perdiz (Rhynchotus rufescens), a ema (Rheaamericana), o pica-pau-do campo (Colaptes campestris), o bem-te-vi (Pitangus sulphuratus), a corruíra (Troglodytes aedon) e o tiziu (Volatinia jacarina). Porém, sua riqueza em aves vai muito além das espécies mais conhecidas:

O bioma Cerrado possui uma avifauna extremamente rica e diversa, com cerca de 837 espécies, sendo mais de 450 só na região do Distrito Federal. Este número representa aproximadamente 50% de todas as 1.796 espécies que ocorrem no Brasil. Mais de 90% destas aves que ocorrem no Cerrado, o usam para reprodução. As espécies endêmicas do bioma não são muito numerosas: 32. Estas endêmicas são em sua maioria associadas a ambientes abertos, porém a maior parte das espécies que ocorrem no Cerrado são de alguma forma dependentes de ambientes florestais. 72,6% das aves que se reproduzem no Cerrado são dependentes ou semi-dependentes de matas secas ou de galeria (matas que margeiam córregos e rios).

Estes seres alados têm fundamental importância na manutenção do Cerrado, como por exemplo, a polinização e dispersão das plantas, que contrastando com as aves, têm alto grau de endemismo no Cerrado. Além disso, as aves são peças fundamentais em muitas outras relações ecológicas e fazem parte indissociável do todo do Bioma, sendo essencial sua conservação para o bem dos seres que habitam o Cerrado, inclusive o Homem.

Extraído do site www.pequi.org.br

Categoria: Fauna e flora
Tags: ariramba, aves, aves do cerrado, beija flor, cerrado, pássaros, saí-azul

Enviar comentário

voltar para Blog Café

left tsN fwR uppercase b01n bsd show|tsN center normalcase show bsd b01ns fwB|fwR uppercase b01ns bsd center hide|bnull||image-wrap|news login uppercase c10 sbse|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase bsd c10 b02ne|tsN fwR uppercase c10 sbse|fwR uppercase bsd b01|content-inner||